Arquivo da tag: XP

Agile Brazil 2010: Rumo a POA

Daqui a pouco partirei rumo a Porto Alegre para participar do Agile Brazil 2010, que na minha humilde opinião deverá ser um dos melhores evento sobre agilidade do ano :)

Estamos saindo aqui da Giran numa mini caravana: Eu, Léo Hackin e Oscar Makoto e vamos tentar aproveitar o máximo possível os dois dias de palestras do evento, enquanto isso faremos – ou tentaremos fazer – alguma cobertura no twitter.

É meio nonsense, mas na sexta o evento vai parar para transmitir o jogo do Brasil-sil-sil e teremos que assistir ao futebol ao invés de aprender sobre Agile, deixando nossos políticos fazerem a festa enquanto o rebanho se diverte.

E claro, o networking certamente será um dos melhores do ano, além de conhecer pessoalmente muitos novos amigos das listas, blogs e discussões quero muito rever os velhos amigos gaúchos ainda do saudoso tempo de PortalJava :)

Maré de Agilidade em Vitória-ES: Maré Vix

Maio será um mês de muitas ondas boas, no dia 22 teremos o Maré de Agilidade em BH e no próximo final de semana, dia 29 de maio teremos o Maré de Agilidade em Vitória, ou Maré-Vix: http://www.mare-vix.com

O Maré Vix contará com uma programação bastante recheada e enriquecedora: teremos um dia inteiro com muitas palestras e uma mesa redonda com todos os palestrantes ao final do evento. Dentre os nomes confirmados para o evento, temos: Guilherme Silveira, com a palestra Um produto em duas semanas, Guilherme Chapiewski, Denis Ferrari sobre Domain-Driven Design, Fabrício Vargas Matos falará sobre TDD e Jeveaux – eu, sobre Negociação de contratos.

O Maré Vix conta com o apoio e patrocínio da Giran e Qualidata para a sua realização, e o apoio fundamental da Faesa, cedendo espaço, infra-estrutura e ajuda necessárias para a realização do evento, e claro, com os patrocinadores que nos ajudam a tornar o evento realidade: HighLanCaelum, GUJ e InfoqBR. Tem interesse em colaborar na organização? Patrocinar? Então entre em contato comigo agora mesmo: paulo.jeveaux (a) giran.com.br.

Um pouquinho sobre a minha apresentação:

Negociação de contratos de projetos ágeis: contratos de escopo negociáveis

Trabalhar em par, escrever testes, muitos testes e colar os papeizinhos na parede, não acaba por aí? Ninguém me avisou que existe uma parte difícil! Um projeto de software, independente da metodologia de gestão ou engenharia é um projeto que possui um cliente – que investe capital – e uma empresa que fornece serviços – que recebe o capital em troco de devolver um bom produto – e este relacionamento tende a ser fortemente formal e legal, o que nos leva para as negociações de contrato entre cliente e fornecedor.

Customer collaboration over contract negotiation, assim encontramos no Manifesto Ágil: Colaboração com o Cliente mais que negociação de contratos, o que não significa trabalhar sem contratos, pelo contrário, os contratos fazem parte de todo e qualquer projeto de software, são indispensáveis. Mas onde está o ponto de equilíbrio? Como conseguiremos um balanço ideal? Como você já deve imaginar, não há bala de prata aqui também, mas existem diversos caminhos e alternativas que podem ser traçadas para ajudar no caminho do sucesso. Estas modalidades de contratos e formas de trabalho serão abordadas nesta apresentação através de: contratos de preço, tempo ou lucro fixo, contratos de escopo negociáveis e até contratos de escopo aberto.

Então é isso, visite o site do Maré-Vix agora mesmo e garanta a sua participação, as vagas são limitadas.

Maré de Agilidade em BH

No dia 22 de maio, em Belo Horizonte – MG, será realizado o Maré BH, uma versão do Maré do Agilidade que está viajando entre várias cidades.

Fiquei muito contente com o convite do Marcos Sousa para participar do Maré em BH com uma palestra sobre minha minhas últimas experiências aqui na Giran em negociação de contratos para projetos de escopo variável ou incremental.

Um pouquinho sobre a minha apresentação:

Negociação de contratos de projetos ágeis: contratos de escopo negociáveis

Trabalhar em par, escrever testes, muitos testes e colar os papeizinhos na parede, não acaba por aí? Ninguém me avisou que existe uma parte difícil! Um projeto de software, independente da metodologia de gestão ou engenharia é um projeto que possui um cliente – que investe capital – e uma empresa que fornece serviços – que recebe o capital em troco de devolver um bom produto – e este relacionamento tende a ser fortemente formal e legal, o que nos leva para as negociações de contrato entre cliente e fornecedor.

Customer collaboration over contract negotiation, assim encontramos no Manifesto Ágil: Colaboração com o Cliente mais que negociação de contratos, o que não significa trabalhar sem contratos, pelo contrário, os contratos fazem parte de todo e qualquer projeto de software, são indispensáveis. Mas onde está o ponto de equilíbrio? Como conseguiremos um balanço ideal? Como você já deve imaginar, não há bala de prata aqui também, mas existem diversos caminhos e alternativas que podem ser traçadas para ajudar no caminho do sucesso. Estas modalidades de contratos e formas de trabalho serão abordadas nesta apresentação através de: contratos de preço, tempo ou lucro fixo, contratos de escopo negociáveis e até contratos de escopo aberto.

Este é um evento que promete, muito! Serão dois dias de atividades com mini-cursos e palestras e muita gente boa da comunidade agile brasileira. Estou contando os dias para rever alguns velhos amigos e conhecer pessoalmente alguns novos-velhos amigos das listas e blogs.

Participações confirmadas: Guilherme Silveira, CV, Éder Frances Oliveira, Márcio Sete, Marco Aurélio de Souza Mendes, Alexandre Gomes, Heitor Roriz, Manoel Pimentel, Renato Willi e Eu :) Veja mais detalhes sobre os palestrantes e as palestras aqui.

Lançamento: Giran Soluções e Ensino

Pessoal, é com uma enorme satisfação que escrevo este post e comunico a vocês o lançamento oficial da minha empresa junto com meu grande amigo-irmão-parceiro e agora sócio, Léo Hackin, e claro, com a participação incondicional e incansável da minha adorada esposa que, literalmente, tirou a coisa da informalidade e ‘nos deu asas’.

A empresa já está registrada há algum tempinho e, também, em atividade. Porém, hoje está sendo o seu lançamento oficial, basicamente com a marca e o site temporário pois a sede ainda está em fase final da reforma da sala e o site em ajustes finais para ir ao ar, muito em breve escreverei sobre a sede e como ela ficou.

Há algum tempo, muita gente não entendeu o meu pedido de saída da globo.com, mesmo tendo eu, acabado de entrar. O principal motivo que me trouxe de volta a Vitória foi exclusivamente pessoal e particular, não cabem comentários aqui no blog. Com o retorno, aproveitei o tempo ocioso e dei início ao trabalho que era também um sonho antigo, assim como entrar na globo.com, e agora o sonho saiu do papel e, literalmente, caiu no mundo real.

Giran Soluções e Ensino

giran_mini1Giran é o nome da nossa empresa. Durante quase 2 meses nós procuramos um nome, inventamos códigos e nomes estranhos, nomes ao contrário, nomes em japonês, em chinês, enfim, tentamos de um todo, mas nenhum deles tinha o domínio livre. Apesar de se tratar do nosso lado profissional e de ser agora a nossa cara, nossa marca e identidade ‘na rua’, o nome é algo muito especial, e não poderia deixar de ser algo nerd, afinal somos nerds. Darei uma pista e quem descobrir a origem do nome ganhará o direito de disputar uma partida de xbox na nossa nova sede; a dica: é um nome retirado de um rpg, mais especificamente de um mmorpg!

Conheça: Giran Soluções e Ensino

Na Giran o nosso foco de trabalho serão contratos de consultoria e coaching em projetos java e rails, gerenciamento de projetos com Scrum e, também, ensino e treinamento especializados em java, php e rails. Quando o site estiver no ar muitas outras informações e detalhes sobre nossa área de atuação serão disponibilizadas.

A criação e lançamento da Giran ocorreu, antes de tudo, após uma longa conversa sobre valores, princípios, visão e expectativas para a empresa e sobre como faríamos para criar e manter uma empresa jovem e descontraída e ao mesmo tempo profissional e comprometida. Nós não poderíamos simplesmente abrir uma outra ‘old big company’ baseada em velhas e obsoletas idéias e trabalhar de forma caótica e improdutiva, na nossa empresa usaremos o que há de ponta para o desenvolvimento e gestão dos nossos projetos e treinamentos, estudaremos cada caso com o máximo de detalhes, cada cliente, cada projeto afim de aplicar o que for melhor para cada situação, exatamente igual fazemos em nosso dia-a-dia e em nossa evolução pessoal+profissional.

Na Giran todo o nosso trabalho será pautado e muito fortemente baseado nos valores e princípios de Extreme Programming, especialmente em alguns que temos uma certa predileção:

  • Respeito – Pois este é a base para todos os outros valores e princípios, é o motivo pelo qual nascemos e pelo qual prosperaremos.
  • Coragem – Não seremos reativos à mudanças, não cortaremos a nossa criatividade e de nossos funcionários. Lidaremos com o risco de forma aberta, transparente e responsável; e erraremos o quanto for preciso para chegar o mais próximo possível da perfeição e continuar sempre no caminho da evolução e da melhoria contínua.
  • Simplicidade – Seremos pragmáticos, sempre! Não queremos fazer mais do que a concorrência, não queremos fazer o desnecessário, não queremos ser ‘grande e flácido’, nós queremos resolver o seu problema.
  • Comunicação – Somos emocionais, queremos olhar nos seus olhos, conversar e sentir as suas emoções, tom de voz, expressões faciais, gestos e postura, não vamos trocar uma visita por um e-mail ou telefonema.
  • Qualidade – Não pode haver desperdício. Não pode haver software ruim ou de má qualidade. Prezamos fortemente pelo código que escrevemos e sabemos que ele é o nosso produto, não se trata de nível de qualidade, o objetivo é a altíssima qualidade, e é isso que importa.

Outro ponto de grande realização para nós com a abertura da Giran é poder participar e atuar de uma forma ainda mais forte e ativa no desenvolvimento de projetos open source e nos grupos e comunidades da nossa região. Poder agora, como empresa, dedicar tempo remunerado a estes projetos, incentivar e bancar a participação dos nossos funcionários, poder viabilizar eventos e outras atividades e muito mais. Hoje nós já participamos fortemente como membros e coordenadores no ESJUG, Agile-ES, PHP-ES, Linux-ES e EESL e estamos iniciando a participação no Vitória Perl Mongers.

E é isso, agora é correr atrás e tentar aplicar tudo que eu disse para meus antigos chefes/gerentes e ver, na prática, se será bom ou ruim, fácil ou difícil, lucrativo ou não e por aí vai. Agora o sonho acabou, virou realidade!