Novos ares!

Há algumas semanas eu estava pensando em sair mudar do emprego. Acabei me decidindo em pouco e pedi a demissão, organizei o que devia organizar para quem fosse ficar no meu lugar e, principalmente, concluí as pendências comigo alocadas e como não estava em nenhum projeto importante/crítico no momento, o meu desligamento foi rápido e nada traumático, felizmente.

Acho que as despedidas que eu devia fazer eu já fiz com o pessoal e amigos da empresa, mas ainda assim, deixo aqui mais um grande abraço e agradecimento pelos momentos ímpares que passei com eles!

E agora, estou conhecendo uma nova modalidade de trabalho, até então muito desejada e aclamada por mim (e por muitos), mas que eu nunca havia experimentado, é o Home Work. Sim, estou agora trabalhando em casa, 100% de casa agora. Posso dizer que as minhas primeiras impressões são muito boas, estas duas primeiras semanas estão sendo para um ‘reconhecimento’ e por enquanto está tudo indo muito bem, espero que continue assim.

iPhone Theme

Peguei no blog do Frank a dica de instalação do plugin iWPhone que altera o tema do blog quando o acesso vem a partir de um iPhone ou iPod Touch e deixa o blog com a cara um aplicativo do iPhone, mais leve, com tudo cabendo na tela sem precisar de redimensionamento e com as funcionalidades de navegação bem ao estilo das outras aplicações do iPhone mesmo.

Para quem tiver acessando o blog por um desses dispositivos, não vai gastar mais um horror de banda pra isso ;-) Dica meio inútil, eu sei, principalmente por saber que ninguém, ou quase ninguém irá acessar o blog a partir de um iPhone, até eu acesso raríssimas vezes o blog pelo iPhone, mas como dizem é melhor sobrar do que faltar.

Refresh

Estava achando o blog bem lento ultimamente, então comecei a procurar os motivos causadores da lentidão, e não foi muito díficil encontrá-los. Primeiro vi – na verdade já estava notando isso há algum tempo – que o script de estatísticas e customização de feed do FeedBurner é bem lerdo pra carregar, apesar de ter conseguido comprovar removendo o script precisei mante-lo nas páginas, pois me é bem útil (talvez eu retire-o mais pra frente, vou tentar usar somente o google analytics). Outra coisa bem chatinha e que está desativada agora é o plugin do SnapShots nos links, baita treco lento à bessa pra carregar, sem contar é muito chato ficar com aquelas janelinhas pulando de tudo que é link.

Daí aproveitei o embalo e comecei a olhar outras coisinhas que já estavam me atucanando há algum tempo no blog. Optei por trocar o plugin Share This!, que colocava um link em cada post e abria um pequeno div mostrando alguns agregadores de conteúdo pelo plugin Sociable, que deixa a lista de agregadores apenas na página do post e não no index. Bom, já é algo a menos no index, mais rápido pra carregar.

Como estava usando uma versão não atual do WordPress, resolvi atualiza-lo também, agora com suporte a tags e um ganho razoável de performance frente a versão que estava sendo usada antes. Também aproveitei para instalar e configurar (com cache, aliás tudo precisa ser mais rápido) o plugin Similar Posts, que irá ajudar a poluir um pouco o final da leitura de cada post, indicando leituras relacionadas já postadas aqui no blog. E só pra não esquecer, também adicionei um plugin para embutir apresentações do Slideshare.

E pra completar, aproveitei para procurar um tema mais bonito, mais leve, mais útil e menos carregado pro blog na intenção de torná-lo ainda mais rápido, depois da alteração nos plugins e remoção de alguns scripts desnecessários e/ou chatos. Como estou mantendo este blog apenas em português, traduzi todo o tema para o português do Brasil, qualquer dia vou arrumar um tempo e criar um blog em inglês, paralelo a este. Creio ter conseguido então um ganho significativo de performance e melhoria de interface e organização no blog, espero que todos (uns 2 ou 3) que acompanham o conteúdo aqui publicado tenham gostado, e só lembrando que críticas e sugestões são *sempre muito bem vindas*.

Se por acaso ficar meio feio e tosco aperte CTRL+F5 pois o CSS antigo ainda pode estar no cache, se não mudar nada é porque realmente você achou o novo tema muito feioso. Qualquer problema que eventualmente alguém encontre, me avise por favor.

Formando-se Líder

Algumas coisas vêm e vão sem termos muitas opção de escolha ou poder definitivo sobre elas, como a idade por exemplo, maldita idade, estou ficando cada vez mais velho e não posso evitar isso, seria bem interessante congelar a idade nos 21 ou 22 anos, seria magnífico. Brincadeiras a parte, assim como a idade, a posição que ocupamos numa organização, nosso emprego e o papel que desempenhamos irá mudar, irá evoluir ou retroceder, por méritos do nosso trabalho, por desejo de evolução ou até mesmo simplesmente por acomodação e paciência pra esperar o tempo passar diante de nossos olhos, a certeza é que as oportunidades – assim como a idade – vêm e vão e caberá a nós estarmos preparados para agarra-las ou para recusá-las.

A verdade é que com o tempo, evolução pessoal, crescimento e maturidade, experiência técnica e profissional estarão sendo agregadas constantemente em todos nós, em nosso perfil, e precisamos ser capazes de identificar o momento correto para realizar uma mudança e saber quando estamos deixando de ser importantes em uma área ou função para ser mais importante em outra área ou função, aplicando esse novo conhecimento adquirido.

Pensando exatamente nisso, não exatamente só por pensar nisso, mas dado a diversos outros fatores que também me desmotivaram, comecei a fazer um tipo de auto análise e observação diária do meu trabalho, atitudes e de como estava resolvendo as coisas, agregado com isso comecei a ler sobre o assunto (liderança) e pra minha surpresa identifiquei vários pontos entre a minha real e atual situação com a minha primeira leitura nessa área: Know-How, de Ram Charan. Este post não é uma propaganda do livro, obviamente. Mas quem quiser comprar eu aconselho fortemente. Empolgado com o assunto estou lendo atualmente The World’s Most Powerful Leadership Principle: How to Become a Servant Leader, do mesmo autor do conhecido Monge e o Executivo, James C. Hunter, (que já estou gostando muito, do livro) e Moments of Truth, de Jan Carlzon.

Com base no último livro que li, e seguindo as premissas do próprio, tomei a liberdade de resumir as oito competências que todo líder deve ter, ou pelo menos saber como praticá-las com perfeição e habilidade:

  • Posicionar e reposicionar – Encontrar uma idéia central para os negócios que atenda às necessidades do cliente e que seja lucrativa para a empresa.
  • Identificar mudanças externas – Detectar tendências externas para colocar a empresa na ofensiva, sempre.
  • Comandar o Sistema Social – Reunir as pessoas certas com comportamentos e informações corretos para tomar decisões melhores e mais rápidas afim de alcançar bons resultados.
  • Avaliar pessoas – Aferir pessoas com base em suas ações, decisões e comportamentos, comparando-os com os critérios inegociáveis da função que cada pessoa deverá ocupar.
  • Moldar equipes – Conseguir que líderes altamente competentes e com ego (geralmente) enorme trabalhem em perfeita harmonia e cooperação.
  • Estabelecer objetivos – Determinar o conjunto de metas que equilibram o que a empresa pode vir a ser com o que ela pode alcançar de modo realista.
  • Estabelecer prioridades precisas – Definir o caminho e alinhar recursos, ações e energia para realizar os objetivos da empresa.
  • Enfrentar forças externas ao mercado – Prever e reagir às pressões sociais fora de seu controle, mas que podem afetar a empresa e às pessoas.

E, apesar de não ser exatamente o título do livro e nem ser a idéia central, ele também aborda de forma muito eficiente os principais traços de personalidade que podem ajudar ou interferir com as competências (acima) inegociáveis de um líder:

  • Ambição – Para conquistar algo notável, MAS NÃO vencendo a qualquer preço.
  • Determinação e tenacidade – Para buscar, persistir e realizar, MAS NÃO persistir em um plano que não está dando resultado.
  • Autoconfiança – Superar o medo do fracasso, da reação ou a necessidade de ser amado; usar o poder criteriosamente e NÃO se tornar arrogante ou narcisista.
  • Abertura psicológica – Para ser receptivo a idéias novas e diferentes E NÃO impedir o progresso de outros profissionais.
  • Realismo – Para ver o que pode de fato ser alcançado E NÃO se esquivar dos problemas ou presumir o pior.
  • Vontade de aprender – para continuar a crescer e aprimorar seu know-how E NÃO repetir os mesmos erros.