Arquivo da tag: IDE

Mais (ainda) do mesmo

Já fazem alguns dias que foi lançada a versão do 6.1 do NetBeans, mas como andei sem tempo demorei um pouquinho pra atualizar meu (novo) ambiente de trabalho, como já comentei aqui e aqui, estou utilizando o NetBeans num dos projetos que participo.

Como ia baixar a nova versão, acabei optando pela versão full já interessado no suporte ao Ruby, coisa que ainda não testei no NetBeans pois o Aptana sempre foi legal pra mim, afinal é um Eclipse, certo? ;-) Ainda não tive tempo para testar o NetBeans com Ruby, mas farei isso ainda essa semana.

Logo de cara ao abrir os projetos no novo NetBeans o project.properties foi alterado e todos os endereços que antes eu havia mudado para caminhos relativos voltaram a ser caminhos absolutos, precisei acertar isso novamente. Todos os arquivos do projeto localizados no diretório nbproject foram alterados, não sei exatamente o motivo e nem se isso vai atrapalhar quando alguém com outra versão do NetBeans for utilizar o projeto, sinceramente fiquei um pouco preocupado.

Um novo problema que não acontecia passou a acontecer. Uma referência a um projeto com EJBs, apesar de não estar com a opção ‘Package‘ do NetBeans marcada, ou seja, o projeto referenciado não deveria ser empacotado junto com o WAR da Web Application. Mas isso não estava funcionando mais, precisei editar mais um arquivo manualmente, o build-impl.xml e retirar a tag copy-ear-war da referência problemática.

Fora os problemas, eu gostei que agora ao fazer o diff entre dois arquivos as diferenças já são abertas automaticamente, antes eu precisa mandar abrir o diff e depois clicar numa das tags exibidas. E a IDE em si também ficou mais rápida para aparecer, isso mesmo, só pra aparecer, pois pra abrir continua demorando o mesmo tempo de antes, só foi feita uma jogada pra nos tapiar. Os projetos e módulos que antes eram carregados ao iniciar a IDE agora são carregados depois que ela abre, ou seja, continua demorando do mesmo, só mudaram a demora de lugar.

No geral essa experiência está sendo muito legal, já estou bem menos reativo ao NetBeans.

Mais do mesmo: Netbeans

Nada como um bom final de semana trabalhando para lembrar e descobrir mais algumas façanhas no nosso amigo Netbeans. Vamos a listinha de novo.

Gostei:

  • Ainda vou descobrir alguma coisa.

Não gostei:

  • Set as Main Project. Isso é muito chato!
  • O ‘Fix Imports’ só funciona quando a classe não tem nenhum erro, ou seja, só depois de você acertar tudo que uma geral nos imports poderia fazer.
  • Ainda não descobri um atalho para o Quick&Fix. No Eclipse, CTRL+1.
  • Não dá pra você simplesmente matar, parar, *exterminar* com o serviço do servidor de aplicações que estiver utilizando. No meu caso tem sido péssimo, pois o servidor de aplicações roda localmente na minha estação, mas o banco de dados eu acesso o do escritório (lembre-se que eu trabalho em casa agora :D) via VPN e às vezes demora uns 10 minutos pra verificar todas as conexões. (Nota mental: não que eu queira largar conexões penduradas no banco sempre, mas neste caso seria melhor do que esperar 10 minutos, afinal, em menos de 10 minutos o oracle já iria matar as conexões mesmo).

No final de semana tem mais.

Netbeans!? Minhas impressões

Como muitos desenvolvedores, eu sou um eclipseiro de carteirinha. Uso o Eclipse profissionalmente desde mais ou menos a versão 2.0, passei pela 2.0.1, 2.0.2, 2.1 e por aí vai até a 3.3.2 de hoje, conhecida como Europa. Mas semana desde a semana passada eu estou utilizando o Netbeans, pois é, emprego novo, projeto em andamento e atrasado, corre corre, enfim, eu não consegui mudar para o Eclipse.

Por toda a minha carreira profissional, obviamente nem tudo foram flores, já utilizei outras IDEs e ferramentas, várias outras e por diversos motivos. Já passei por IntelliJ IDEA (essa é excepcional), JDeveloper (JDevil), JBuilder, BEA Weblogic Workshop (pífio, não estou falando da versão 10 que já é Eclipse, mas sim a 8 e anteriores) e até GEL e JCreator Pro, por mais estranho que pareça nunca havia usado o Netbeans num projeto de produção, pra valer mesmo e com uma equipe utilizando junto comigo.

Então eu nunca tinha usado o Netbeans? Claro que não! Eu adoro usar o Netbeans para fazer um showzinho no final das minha palestras e apresentações, sempre que sobra tempo. Principalmente nas apresentações sobre Introdução ao Java ME, aquele editor visual dele convence todos que ainda estavam em dúvida :D como dizem por aqui, é tiro e queda. Mas nunca foi muito além disso.

Então, hoje já completam duas semanas de uso do Netbeans 6.0.1, que é a última estável. Pois bem, vamos às minhas impressões neste tempo.

O que eu gostei:

  • As fontes da IDE são pequenas. Acho isso muito bom, poupa espaço na área visível para coisas mais importantes. O Eclipse (no windows vista e principalmente no gnome) deixa bastante a desejar nisso.
  • Não está demorando tanto para abrir. Mas ainda não é rápido :)

O que eu não gostei:

  • Não compila automagicamente (um viva ao JDT)
  • Os avisos de erro no projeto (aqueles ícones bonitinhos) ainda não funcionam direito.
  • O ‘Insert Code‘ não é nada sugestivo quando você pensa em gerar getters e setters ou sobrescrever algum método da classe pai.
  • CVS!? O suporte ao CVS é muito fraco. Com certeza é muito melhor que o do JDev e Weblogic Workshop, mas ainda assim é muito ruim, principalmente se você já usou o CVS no Eclipse antes. O merge seria mais legal se a IDE informasse que lado do código é o seu e qual é o remoto, mas isso você tem que adivinhar.
  • O gerenciamento de dependências não é dos melhores. Quando eu precisei adicionar um JAR ao projeto, a IDE me informava no Wizard o caminho completo do JAR no meu disco, apesar de eu ter deixado o JAR dentro do projeto, justamente para que o caminho não ficasse absoluto. Solução? Alterar o nbproject/project.properties na mão para que o caminho ficasse relativo ao projeto.
  • O consumo excessivo do heap ainda é um problema. Ao final de um dia inteiro de trabalho o heap da IDE já passou dos 500Mb fácil fácil.
  • Tinha mais alguma coisa que eu esqueci, assim que lembrar farei um novo relato.

Essas são as minhas impressões das duas primeiras semanas utilizando Netbeans. Um resumo para tudo? Que saudade do Eclipse.